Os advogados de Wilson Witzel (PSC) entregaram, no final da última quarta-feira (2), os argumentos de defesa do governador afastado para o processo de impeachment aberto na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). A votação deve ocorrer até o próximo dia 17.

A Alerj notificou a defesa do governador, na terça-feira (1º), conforme publicação no Diário Oficial do estado, sobre a retomada do processo de impeachment. O prazo seria até a sessão desta quinta (3), mas foi antecipado pela defesa do governador afastado.

Ainda na quarta-feira (2), Witzel enviou uma mensagem para os 70 deputados da Alerj dizendo que "o RJ vai sofrer", caso ele deixe o cargo, e pedindo "compreensão" dos parlamentares no processo de impeachment contra ele.

Contagem para votação

Com a apresentação da defesa de Witzel, o prazo de até cinco sessões para análise e elaboração do relatório que vai a plenário para votação começa a contar a partir desta quinta-feira (3).

O relator Rodrigo Bacelar (Solidariedade) deverá apresentar o relatório que será votado pela comissão — e depois pelo plenário. Ou seja, o documento deve estar pronto até o próximo dia 17.

O processo estava paralisado desde quando o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Tofoli, acolheu um pedido da defesa para mudar a composição da comissão processante do impeachment. A decisão foi derrubada pelo relator, ministro Alexandre de Moraes.